A Ressurreição Espiritual e o Retorno de Todo o Israel à sua Terra  (Parte IV)

 

O Retorno dos Judeus é Apenas o Começo do Retorno de Todas as Tribos e de Todos os Israelitas à sua Terra

 

Rosh Baruch Ben Avraham

 

 

O retorno após a II Guerra Mundial do qual o célebre navio Exodus  e tornou um ícone foi apenas um instrumento coadjuvante de nossa fé. Mesmo que naquele pequeno barco, e mais tarde em muitos outros barcos e aviões que trariam os judeus para sua terra estavam muitos descrentes, agnósticos e ateus sabemos que a volta de todos os que são chamados pelo propósito de Elohim ainda se dará no tempo certo e para a glória do Eterno.

 

O navio Exodus, um barco de 98 metros e 1800 toneladas de deslocamento zarpou da França em 1947 direção à Israel levando à bordo centenas de judeus, homens mulheres e crianças dispostos a viver ou a morrer em Israel. O navio foi impedido de prosseguir viagem pela Marinha Real Britânica criando uma crise humanitária já que seus tripulantes juraram que não sairiam vivos do navio em nenhuma hipótese a não ser num porto de Israel. A pressão internacional aumentou até que finalmente o barco aportou em Israel fazendo história. Era o primeiro navio a furar oficialmente o bloqueio naval britânico. Os judeus cansados de morrer no exílio sonhavam legitimamente em viver ou morrer no solo sagrado de seus ancestrais. A história é contada num longa metragem com o nome do navio: Exodus! Uma produção cinematográfica de 1956 que vale a pena assistir, sendo difícil conter as lágrimas.

 

 Isso é uma promessa firme, inamovível e incondicional! O retorno histórico dos judeus à Israel, então erroneamente apelidado de Palestina ainda não é o retorno escatológico ali mencionado, mas uma antecipação dessa obra gigantesca. Como já dissemos ali se faz alusão ao retorno de todo o povo, das duas casas e de todas as tribos. Mas pelo retorno dos sionistas á terra de Tzion e a Yerushalaim o Eterno está dizendo: “Governo todas as coisas e farei aquilo que prometi.” Desde a muito tinha o Eterno determinado que buscaria suas ovelhas como o pastor busca o seu rebanho disperso na noite de nuvens e escuridão até que todas e cada uma delas estivesse recolhida e segura em seu redil.

 

Estas ovelhas deveriam ser buscadas, encontradas e trazidas de volta dentre todos os povos da terra, do meio de todos os países onde elas fixaram morada, e apesar da noite de trevas espirituais a que se veriam sujeitos pela pressão do paganismo de seus anfitriões. 

 

“E eu mesmo recolherei o resto das minhas ovelhas de todas as terras para onde as tiver afugentado, e as farei voltar aos seus apriscos; e frutificarão, e se multiplicarão.” Yirmiahú/Jr 23:3.

“Como o pastor busca o seu rebanho, no dia em que está no meio das suas ovelhas dispersas, assim buscarei as minhas ovelhas. Livrá-las-ei de todos os lugares por onde foram espalhadas, no dia de nuvens e de escuridão. Sim, tirá-las-ei para fora dos povos, e as congregarei dos países, e as introduzirei na sua terra, e as apascentarei sobre os montes de Israel, junto às correntes d'água, e em todos os lugares habitados da terra.” Yezchekiel 34:12-13.

 

A busca profetizada do rebanho principiou quando Yeshua enviado como pastor às ovelhas perdidas da Casa de Israel começou a reuni-las. Hoje estas ovelhas estão regatando suas origens e suas raízes. Eis o grande milagre.

 

“Respondeu-lhes ele: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.” Matytyahú/Mt 15:24.

 

“... Não ireis aos gentios, nem entrareis em cidade de samaritanos. Ide antes as ovelhas perdidas da Casa de Israel.” Matytyahú/Mt 10:6.

 

Se nosso Messias foi enviado às ovelhas perdidas da Casa de Israel e se a elas enviou seus discípulos no começo, e se é verdade que depois deles ninguém pode criar halachá ou caminhada segura, então deve ser verdade que nos enviou, então é necessário que busquemos no mapa-mundi os sinais de sua presença. Esse será o tema de nossos próximos tópicos.

 

Através deles veremos que os traços da presença de Israel podem ser encontrados através dos cinco continentes, entre povos das mais diversas culturas, aspectos e religião. Sim, se existe um povo que não pode ser identificado pela cor de sua pele ou por seu tipo físico este povo é Israel.

 

Por meio do profeta Hoshea o Eterno deu a senha para a localização da Casa de Israel dizendo: “Quanto a Efraim, ele se mistura com os povos.” Hoshea 7:8.

 

Assim, se você quiser encontrar a Efraim terá de pesquisar a história, o desenvolvimento cultural, linguístico e religioso das nações, lembrando que Efraim está entre elas, e que precisa ser localizado, e despertado, afinal de contas ele precisa uma reconexão com sua fé original e um retorno à rocha de Israel de onde foi cortado pelo poder do Império Assírio.

 

A verdade é que misturado a todos os povos da terra como o orvalho que umedece o solo, a semente de Avraham impregnou o mundo com sua presença misturou-se a praticamente todas as raças e pode ser achada em quase todos os lugares.

 

Não é de estranhar que na Grande Comissão Yeshua, que havia dito aos discípulos que fossem às ovelhas perdidas da Casa de Israel parece dar-lhes outra ordem quando manda que caminhem em direção a todas as nações a fim de fazer discípulos.

 

Essa contraordem é apenas aparente, na realidade, se Efraim se misturou com os povos ele só podia mesmo ser achado se os enviados fossem aos povos, razão pela qual logo de início escolheram aquele que Yeshua havia chamado para ministrar aos gentios, Shaul. Não se estranha quantas vezes ele usa textos que fazem referência ao Israel perdido e logo os aplique aos gentios. Um caso típico é quando Shaul desenvolve o polêmico tema da predestinação enfatizando o direito que Elohim tem de suportar com muita paciência os vasos da ira preparados para a perdição, “para que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que de antemão preparou para a glória.” Romanos 9:23.

 

Pois bem, quem são estes vasos de misericórdia? Como judeu ele responde: “os quais somos nós, a quem também chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios.” O mais fascinante é que ao falar dos pecadores entre os gentios ele recorre ao profeta Hoshea que diz relativamente a Israel que deixaria de ser povo de Adonay antes de voltar de novo ao favor e Yeshayahú que fala de Israel numero como a areia do mar, a mesma linguagem de Hoshea.

 

“Como diz ele também em Hoshea: Chamarei meu povo ao que não era meu povo; e amada à que não era amada. E sucederá que no lugar em que lhes foi dito: Vós não sois meu povo; aí serão chamados filhos do Elohim vivo. Também Isaías exclama acerca de Israel: Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo.” Romanos 9:25-27.

 

Ora por que Shaul diz que os gentios são agora a mulher amada que noutro tempo não era amada? Porque Yah se refere a Israel chamando-a de não compadecida para logo dizer:  “Contendei com vossa mãe, contendei; porque ela não é minha mulher, e eu não sou seu marido; para que ela afaste as suas prostituições da sua face e os seus adultérios de entre os seus seios?” (Hoshea 2:1) A razão parece óbvia é que ele a deseja de volta como o marido amante é capaz de perdoar as infidelidades de sua esposa e trabalha intensamente até que ela tenha saudades do tempo em que esteve com ele e arrependida pede para voltar.

 

O que Shaul mostra é que Israel, que por sua infideldiade se misturou aos gentios e foi assimilado por eles a ponto de deixarem de ser seu povo de direito e constituíam o LO AMI (não meu povo) surpreendentemente passa a ser chamado AMI (meu povo). Assim retornam eles ao favor, à sua casa, ao status de israelitas, e tudo isso em cumprimento do que está escrito em Hoshea: “e no lugar onde se lhes dizia: Vós não sois meu povo, se lhes dirá: Vós sois os filhos do Elohim vivo.” Hoshea 2:10.

 

Finalmente Shaul ao falar dos gentios emprega o profeta Yeshayahú dizendo que sendo Israel numeroso como a areia do Mar, ainda assim seu remanescente será salvo. Mas por que ao falar dos gentios romanos, ou melhor daqueles gentios que se espalhavam pelo vasto mosaico de povos sob domínio de Roma Shaul vai à Bíblia e trás dela um texto que se refere ao Israel disperso?

 

A interpretação antissemita supõe que Shaul, aplica as promessas ao Israel espiritual (os gentios) e não ao Israel de fato (os descendentes biológicos de Avraham), mas essa é uma fantasia medieval, pois nunca houve esse tal de Israel espiritual, este não pode sequer ser mencionado nas Escrituras.

 

O que a Bíblia fala é que não é judeu aquele que é apenas na carne, mas aquele que o é no espírito (Romanos 2:28). Isso não tem nada a ver com o romanismo, com o protestatismo, com o adventismo ou com qualquer outro movimento anti-judaico. Um homem não pode ser considerado judeu como tal apenas por que tem uma mãe judaica. Sobre isso a vida de incredulidade e ateísmo de Theodor Erzl, o pai do sionismo já é um testemunho por demais evidente. Mas se a ascendência biológica não faz ninguém um judeu espiritualmente falando ainda que proceda de um ventre judeu e seja descendente de rabinos como a vida do ateu Karl Marx (1818-1883) que considerava a religião como o ópio dos povos prova, um gentio jamais será um judeu espiritual quando rejeita no todo ou em parte aquilo que os profetas guiados pelo espírito santo falaram ao povo judeu.

Shaul não está se referindo a gentios, como se estes pelo evangelho se houvessem tornado “judeus no espírito”, sem contudo pensar como judeus, mas a descendentes de Israel que pela bessorat (evangelho) haviam retornado espiritualmente ao judaísmo depois de se multiplicarem entre os gentios. É claro que um gentio também pode ser israelita, também pode ser judeu no coração, desde que realmente passe a pensar como é ordenado que um judeu pense nas Escrituras. No entanto o foco de Shaul é o Israel que estava retonando do estado de não povo à condição de povo. Ora, as Escrituras diziam que Israel só se tornaria numeroso como a areia do mar depois de ser despedido e se tornar LO AMI (não meu povo) para que se misturasse aos gentios e se multiplicasse em grande medida.

 

“Põe-lhe o nome de Lo-Ami; porque vós não sois meu povo, nem sou eu vosso Deus. Todavia o número dos filhos de Israel será como a areia do mar, que não pode ser medida nem contada; e no lugar onde se lhes dizia: Vós não sois meu povo, se lhes dirá: Vós sois os filhos do Elohim vivo. E os filhos de Judá e os filhos de Israel juntos se congregarão, e constituirão sobre si uma só cabeça, e subirão da terra; pois grande será o dia de Yizreel.”” Hoshea 1:10-11.

 

Assim, embora seja certo que os gentios são abençoados com Israel, deve ficar claro que o povo de Elohim é Israel, e que os gentios se incluem nesse povo pela unidade com ele, e não pela separação, reconhecendo ainda que Israel era, é, e sempre será o povo de Adonay.

Shaul traça uma linha clara de divisão entre os gentios que creem na bessorat, sobre os quais deseja a paz junto com todo o Israel de Elohim, (Galátas 6:16) lembrando porém que os gentios devem se regozijar com Israel sabendo que esse é o povo do Eterno (Romanos 15:10) e ao fazer isso está recorrendo à sagrada Torah que profetiza através de Moshe: “Aclamai, ó nações, com alegria, o povo dele.” Devarim/Deuteronômio 32:43.

Assim, embora o muro de separação que dividia judeus e gentios ter sido derrubado por Yeshua (Efésios 2:14), judeu deve viver como judeu sem forçar os gentios fazerem o mesmo (Gálatas 2:14), pois o que foi derrubado foi a inimizade entre os povos, e não a diferença de compromissos e deveres maior por parte dos judeus do que por parte dos gentios que apenas devem ser proibidos das aberrações sexuais (bestialidade, homossexualismo, incesto, pedofilia, prostituição e adultério), alimentares (ingestão de sangue) e cultuais (idolatria, politeísmo, culto a anjos ou a homens vivos ou mortos), deixando-se a eles a liberdade de santificar suas vidas à medida que conheçam Torah de Moshe que lhes deve ser pregada a cada Shabat, mas nunca imposta. (Atos 15:19-21).

Apesar disso, os gentios precisam saber que o modelo de santidade a ser imitado é o das kehilot ou igrejas da Judéia (I Tessalonicenses 2:14) inclusive subvencionando-lhes em suas necessidades básicas já que deles receberam os bens espirituais que são muito maiores (Romanos 15:26-27). Por essa razão, apesar de não serem os gentios obrigados a guardar toda a Torah e nem mesmo imergirem para testificar sua crença numa nova vida, e disposição pra adotar uma vida judaica nem por isso devem ser desestimulados de o fazer.

Pelo contrário, não sendo eles obrigados a cumprir a aliança (berit milá) ou a guardar o shabat (sábado), sinais da aliança entre Elohim e Israel, são eles convidados a abraçar ambos os símbolos certos de que receberão as melhores promessas, a de serem tratados melhor do que filhos e filhas. (Yeshayahu/Is 56).

É justamente por acreditar na redenção final de Israel, exatamente como os profetas anteciparam que Shaul ao escrever aos gentios de Roma lembra que seu mais caro sonho é a redenção de seu povo quando diz:

“Irmãos, o bom desejo do meu coração e a minha súplica a Elohim por Israel é para sua salvação.” Romanos 10:1

Quão distante desse propósito estão hoje algumas das igrejas que se apresentam como “Igreja de Deus”, pretendendo com isso dizer que são um Israel Moderno, o Israel Espiritual, erguido por Elohim para salvar o mundo, quando na verdade não se importam nem mesmo com o resgate do povo eleito.

É lamentável ver que aqueles que se declaram Israel, não só pisoteiam nos mandamentos ternos dados a Israel, mas fazem mais, imaginam-se substitutos desse povo e “profetizam”  a todos os ventos que ele jamais se erguerá de novo por que foi rejeitado para sempre. Tudo o contrário do que tanto o Tanach como a Brit Chadashá revelam.

“Pergunto, pois: Acaso rejeitou Elohim ao seu povo? De modo nenhum; por que eu também sou israelita, da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim. Elohim não rejeitou ao seu povo que antes conheceu.” Romanos 11:1-2.  

 

Shaul, sendo um judeu inspirado pela mesma ruach que inspirou aos profetas do Tanach que vieram antes dele não poderia dizer outra coisa senão isso:

”porque poderoso é Elohim para os enxertar novamente.” Romanos 11:23.

Uma vez que aguardamos essa ressurreição espiritual de Israel dentre as nações começaremos a identificá-lo nos próximos capítulos.